Quem somos

Eu, Vivi, sou formada em fisioterapia, mas sempre sentia que faltava alguma coisa, algo que fizesse meus olhos brilharem. Um dia, em novembro de 2014, em uma conversa despretensiosa no sofá sobre a vida, sobre o que poderia fazer, a Júlia minha filha mais velha disse: “Mãe, por que você não faz bolos, olha esses bolos que estão na moda!” E me mostrou os naked cakes.  

Eu me apaixonei! Nunca fui uma pessoa da cozinha e não tenho aquelas histórias românticas de sempre estar na cozinha com minhas avós ou com minha mãe, mas sempre amei artesanato e durante a minha vida toda sempre estava fazendo alguma coisa, mas como um hobby.

Nessa época eu havia acabado de passar no mestrado e estava de férias, e como sempre invento alguma coisa pra fazer, decidi brincar de bolos! A Jú vendia bolos no pote e alfajor na escola e as primeiras encomendas foram das amigas dela, as pessoas iam gostando e encomendando. Fizemos um instagram e quando percebi, no final do primeiro semestre do mestrado estava assistindo aula, respondendo cliente e fazendo lista de compra na aula! Criei coragem e abandonei o mestrado. Estava amando aquilo! Sentia uma facilidade muito grande para fazer tudo, como se sempre tivesse feito aquilo. 

Trabalhava em casa e um dia percebi que não tinha mais casa, não tinha horário e nem rotina de família. Respirei fundo, criei mais coragem e em Março de 2017 aluguei um ateliê onde continuava trabalhando apenas por encomenda fazendo bolos, alfajor e docinhos. Neste mesmo ano surgiu uma demanda por cursos de bolos. Não entendia muito bem o que as pessoas queriam vir aprender comigo, achava tudo muito óbvio, mas topei o desafio. Em Julho do mesmo ano criei a Vivência Doce e Arte, uma consultoria individual em bolos com duração de 2 dias e foi incrível! De repente estava recebendo alunas do RJ, do Amapá, do Acre e fiquei até surpresa com a procura. 

Em 2019 a Júlia começou a trabalhar oficialmente comigo (porque na verdade ele sempre foi a cabeça da Doce) e se tornou minha sócia. Ela cuida da parte administrativa e eu fico responsável pela produção. Esse foi o ano que foquei muito nos cursos, criamos uma turma de 4 alunos e uma de 10 alunos e esgotamos todas as vagas.

Meu Deus! Me sentia anestesiada quando via tantas pessoas, de tantos lugares diferentes querendo vir aprender comigo. Tem a ver com propósito de vida mesmo, com impactar positivamente a vida de outras pessoas e me senti plenamente realizada.

Em 2020 com a pandemia, tudo mudou! Cursos cancelados, bolos de casamento, batizado, aniversário… tudo cancelado! Eu e a Jú somos muito inquietas e logo arrumamos uma forma de nos reinventar. Criamos as linhas ”Doce e Arte em Casa” e “Para Presentear”, e foi quando a Doce e Arte deu um salto! Foi o ano de maior crescimento da empresa e o ano que percebi que meu papel havia mudado, não era mais a confeiteira e sim a estrategista da empresa. 

Hoje, 7 anos depois, aqui estamos! A empresa crescendo aos pouquinhos a cada dia, os cursos voltando e nossa cabeça cada vez mais, borbulhando de ideias!

Esperamos que tenham gostado de conhecer um pouquinho da nossa história.

Com carinho,

Vivi e Jú.